O que te motiva a querer um assistente virtual na empresa?

A decisão de implementar um chatbot na instituição pode vir tanto do CEO quanto de algum gerente de departamento, por exemplo. Ela pode ser motivada por algum tipo de marketing na internet ou pelo contato de uma empresa que presta esse serviço. O curioso é que tudo isso faz com que as pessoas entrem em contato para a implementação de um assistente virtual por diferentes finalidades. Todas elas são extremamente válidas e é isso o que torna essa ferramenta tão versátil. 

Mas e você, o que busca na implementação de um assistente virtual?

Tem os que querem facilitar o trabalho da empresa, oferecendo para o cliente um robô que possa solucionar suas dúvidas mais básicas. Outros querem aperfeiçoar as transações internas, de modo a fazer uma ligação prática e direta entre os departamentos. Há também aqueles que buscam a solução com o intuito de explorar a tecnologia dentro do seu negócio e poder mostrar o quanto se importam com inovação. Independentemente do motivo, todos acabam tendo um benefício em comum: a flexibilidade de comunicação. 

O que manda no assistente virtual é a funcionalidade!

As maneiras de se relacionar têm se modernizado a cada dia e uma delas é a implementação dos assistentes virtuais. Para que eles tenham sua utilidade comprovada é indispensável que as funcionalidades solicitadas sejam devidamente implementadas. A InBot é especialista nisso e conta que este não é um processo tão simples. “Além da parte técnica, existe todo um planejamento de estratégias que devem estar diretamente ligadas com a necessidade e desejo da empresa”, afirma. 

A preocupação da InBot é em atender o seu cliente ou quem irá utilizar o assistente virtual?

O anseio inicial que o cliente apresenta logo que ele contata a empresa deve sim ser levado em consideração. Até porque é ele quem tem o domínio das estratégias do negócio e pode ajudar a direcionar algumas funcionalidades. Porém, o chatbot precisa atender o usuário final, não só em termos de praticidade de uso quanto em vontade de interação. Caso contrário, toda a ideia pode não surtir o efeito esperado.

Isso mostra que o desenvolvimento de um assistente virtual pode sim ter como premissa diferentes motivos e finalidades, mas o diálogo entre as empresas desde o início é fundamental. Entre em contato e conte para a InBot qual a sua ideia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *