O que as respostas automáticas nas redes sociais têm a nos ensinar

As respostas programadas no “Facebook”, “Twitter”, entre outros, podem ser um sucesso ou um fiasco, basta analisar a repercussão de algumas campanhas que utilizaram essa ferramenta para entender que ela tem muito a dizer sobre a tecnologia e suas inovações. 

Antes de tudo, é preciso saber que a resposta automática é enviada todas as vezes que um usuário faz determinada ação, como escrever uma hashtag. Ao fazer isso, é como se um ‘botão’ fosse pressionado e a mensagem é enviada como resposta à atividade.


Análise de caso

Não vamos citar nomes, mas, em 2015, uma famosa marca de cerveja fez uma campanha para angariar votos e deixar que os próprios usuários das redes sociais decidissem se a garota propaganda contratada continuaria ou não protagonizando suas ações de marketing. 

Então, todas as vezes que uma pessoa escrevia a hashtag da campanha, imediatamente recebia uma resposta automática agradecendo seu voto. O problema é que os usuários da rede notaram isso e começaram a fazer piadas com a empresa, seu produto e sua estratégia de marketing. 

Um usuário, por exemplo, escreveu que a cerveja da empresa era uma porcaria, e em seguida, ele escreveu a hashtag e recebeu, como previsto, uma mensagem dizendo “obrigada, fulano”. Um fiasco total. 


Respostas automatizadas e redes sociais: alguns ensinamentos

Portanto, o que esse e outros casos nos ensinam é que os responsáveis pela programação das respostas automáticas devem prever alguns fatores e interferências para que ela funcione corretamente, do contrário, a campanha será alvo de chacotas e piadinhas infames. 

Desse modo, é preciso tomar alguns cuidados na hora de programar respostas programadas enviadas pelos chatbots:

  • Prever que não haverá apenas comentários positivos enviados, mas também críticas e até mesmo relatos bem negativos, pois estamos na era da comunicação e as pessoas falam o que bem entendem na Internet;
  • Os assistentes virtuais devem ler e interpretar tudo, ou, ao menos, a maior parte do que é escrito pelos usuários e não apenas um pedaço da mensagem, como a hashtag, por exemplo, para que os comentários possam ser tratados e respondidos corretamente;
  • Criar diferentes modelos de respostas automatizadas é uma ótima saída para não cair em saias justas. Por isso, a equipe de profissionais que irá elaborá-las deve ter visão estratégica para prever as possíveis reações dos usuários da rede.

Outra boa dica é apostar em respostas automáticas menos problemáticas, como de boas-vindas (ao se tornar membro de um grupo ou começar a seguir um perfil), conteúdos promocionais, convites para eventos e para experimentar um produto ou serviço. 


Campanhas que fazem sucesso

A InBot conta com uma equipe multiprofissional para elaboração de respostas automáticas enviadas por bots que farão sucesso nas redes.

Na InBot, profissionais diferentes, como linguistas, psicólogos, programadores e gerentes de projeto atuam em conjunto, afinal, é preciso prever diferentes variantes para obter os melhores resultados. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *