Confira quatro dicas básicas para te ajudar na implementação de um assistente virtual

Implementar um chatbot na rotina de uma empresa tem sido um desejo de grande parte dos gestores por uma série de motivos, sendo a praticidade no gerenciamento das atividades e a informatização dos processos alguns deles. Tudo isso, no entanto, envolve planejamentos e algumas estratégias para que o investimento seja assertivo. Entender a real necessidade da empresa é a primeira delas, já que só assim será possível construir uma ferramenta que possa ajudar. Pensando nisso, a InBot, especialista no desenvolvimento de assistentes virtuais, traz quatro dicas para dar o primeiro passo.

1 – Descubra o objetivo

Nada melhor do que saber exatamente em qual departamento o chatbot irá atuar e assim, definir o que se espera dele. Um assistente virtual pode ter diversos objetivos, mas para cada um deles é um diferente tipo de sistema que precisa ser pensado. Por isso, traçar o seu objetivo ajudará a nortear o início das atividades e o tornará totalmente útil dentro da empresa. 

2 – Defina uma persona

No marketing, a persona é um personagem fictício criado para representar o usuário, sua atitude e/ou comportamento. No caso do chatbot, as características da persona são as que irão compor o robô e que vão garantir a interação com os usuários da maneira mais próxima possível de um humano.

3 – Explore a Inteligência Artificial 

Embora seja possível criar um assistente virtual exclusivamente por regras, é importante explorar o uso da inteligência artificial. Com ela, o robô é capaz de identificar o desejo do usuário e oferecer o melhor conteúdo relacionado e não apenas algo que esteja vinculado a uma palavra-chave digitada. Essa tecnologia aperfeiçoa o trabalho e torna-o mais preciso e dinâmico.

4 – Escolha a plataforma de mensagem

Os chatbots aliados às ferramentas de mensagens instantâneas, como o Messenger e o WhatsApp são muito comuns atualmente. Essa integração é realmente promissora, pois alcança o usuário onde ele estiver. Se for o caso, também é possível criar um sistema próprio, especialmente para auxiliar na comunicação interna das empresas.

Essas foram as quatro dicas básicas para te ajudar na implementação de um assistente virtual. Ainda tem dúvidas se esse investimento vale a pena? Acompanhe nosso blog e confira os conteúdos preparados especialmente para você se manter bem informado e por dentro das possibilidades dos chatbots!  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *